Google+ Acima da lei: MP de Minas arquiva denúncia sobre aeroporto de Aécio Neves em Cláudio

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Acima da lei: MP de Minas arquiva denúncia sobre aeroporto de Aécio Neves em Cláudio

Comentar a postagem
Quando Aécio Neves (PSDB), foi governador de Minas Gerais,  usou dinheiro dos cofres públicos para construir um aeroporto na fazenda de  sua familia, para uso, particular. O Ministério Público de Minas Gerais decidiu que esta tudo certo e arquivou a investigação



Acima da lei: MP de Minas arquiva denúncia sobre aeroporto de Aécio Neves em Cláudio
O Conselho Superior do Ministério Público de Minas Gerais decidiu arquivar definitivamente as investigações sobre o aeroporto construído em Cláudio, no centro-oeste mineiro, durante a gestão do atual senador tucano Aécio Neves no governo do Estado, entre os anos de 2003 e 2010. A decisão, tomada no dia 23 de novembro, teve sete votos pelo arquivamento e quatro contrários. O colegiado é composto por 11 integrantes, inclusive o procurador-geral de Justiça, que preside o grupo.

De acordo com Procuradoria da República em Minas, o procedimento foi instaurado com base em representação recebida pouco depois de o caso ser divulgado pelo jornal Folha de S.Paulo, no ano passado, segundo a qual o terreno utilizado para a obra pertencia a um tio-avô do hoje senador e presidente nacional do PSDB, que é dono de uma fazenda próxima ao local. O projeto custou R$ 13,9 milhões aos cofres públicos e teve as obras concluídas em 2010.

Em agosto, os promotores Maria Elmira Evangelina do Amaral Dick, Fernanda Karan Monteiro, Tatiana Pereira e José Carlos Fernandes Júnior já haviam pedido o arquivamento do processo que investiga as obras dos aeroportos. Depois disso, o MP encaminhou o pedido ao Conselho Superior, que decidiu acatar o requerimento em favor do arquivamento.

O aeroporto - que recebeu o nome de Deputado Oswaldo Tolentino, outro tio-avô de Aécio, por meio de lei aprovada pela Assembleia Legislativa de Minas ainda na gestão do tucano no Executivo estadual - foi construído em parte de uma fazenda de Múcio desapropriada pelo Estado por R$ 1 milhão. Desde 2009, porém, Tolentino briga na Justiça com o governo mineiro reivindicando o pagamento de indenização de R$ 9,1 milhões pela área.As informações são do jornal O Estado de S. Paulo via Os Amigos do Lula

Nenhum comentário:

Postar um comentário